Capa, Sem categoria

Como adotar o método Bullet Journal

Hello MagLovers!

Eu me chamo Vanessa Kawashima e sempre amei muito coisas de papelaria, colecionava papéis de cartas, adesivos, canetas e borrachas. Quando criança tinha aquelas agendas cheias de papel de balinha ice kisses, sonho de valsa, ticket de cinema e várias cartinhas trocadas com as amigas. Lembro da minha felicidade quando minha tia enviava de presente canetas diferentes do Japão, coisas que na época nem existia no Brasil e só fazia aumentar meu amor por papelaria. Na adolescência abandonei o formato agenda e passei a ter um diário, no qual mantive registros da minha vida pessoal e profissional até os meus vinte e cinco anos, depois com vergonha de tudo que já tinha escrito, acabei jogando fora (arrependimento total). E hoje resgatei o hábito de escrever no diário e me organizar através do Bullet Journal, compartilho a minha experiência no meu perfil @semprenopapel no instagram.

Descubra a sua motivação.

Ter um Bullet Journal só porque está na moda, não vai te ajudar na sua organização e planejamento diário, descubra o que te motiva e saiba qual o propósito dele na sua vida.

Quem me conhece através da minha carreira profissional na publicidade, sabe o quanto sou exigente com planejamento, pontualidade, organização e resultados. Mas na vida pessoal sempre tive dificuldade de criar metas, planejamento e rotina, e essa dificuldade aumentou muito com a quarentena, assim eu encontrei a minha motivação de ter um bullet journal.

Minha rotina estava de cabeça para baixo, ter a família toda dentro de casa é sinônimo de mais trabalho e as tarefas domésticas aumentaram, o tempo que minha filha ficava na escola foi resumida em quarenta minutos de aula on-line, controlar a gritaria para não atrapalhar o marido nas reuniões por vídeo conferências e ainda cuidar do quiosque, que apesar de ter sido fechado por dois meses continuei vendendo através do delivery, me deixava exausta e insatisfeita com tamanha desorganização.

Desejar um equilíbrio entre a vida profissional e pessoal, conseguir conciliar as tarefas diárias e ter um tempo para os meus hobbys foram as minhas principais motivações, além de ter afinidade com diários e amar papelaria.

Busque referências.

 

Comecei a pesquisar e a ler mais sobre o método Bullet Journal e acabei inspirada pela Flora ( @bujoterapia), a fazer um BuJo para organizar e planejar minha vida pessoal, e claro, nos vídeos aqui do Blog que fala das primeiras páginas do Bujo.

A decoração em si não é a minha prioridade, o objetivo principal é organizar e registrar o meu dia. Separei algumas inspirações de páginas semanais, mais minimalista e simples para não desanimar e desistir logo no início, até porque minha habilidade para desenhar é zero.

As suas referências precisam ser próximas da sua realidade, não adianta tentar fazer no início desenhos difíceis se você não tem muita habilidade para desenhar, isso só vai te deixar frustrada. Eu particularmente segui o caminho das colagens de imagens e abuso dos adesivos para decorar meu BuJo. Isso me permite soltar a minha imaginação dentro das minhas habilidades, e com o tempo, a gente acaba percebendo quais são os melhores layouts para usar no dia a dia.

Defina suas metas.

Ter as suas metas claras e definidas te ajuda na sua caminhada. Faça metas simples, mas que tenham um propósito para você, ela precisa ser viável para que não desista no meio do caminho. Mas nada impede que a gente reveja as metas ao longo do ano =D.

Tenho as minhas metas mensais, às vezes tão simples, mas que demandam tempo e que são postergadas mês a mês, como reorganizar o “quarto da bagunça”.  Outras metas, são mais voltadas para meu desenvolvimento pessoal, como fazer um curso específico ou meta de leitura.

E mais importante que definir as metas é fazer o acompanhamento delas, é definir o que precisa ser feito mês a mês para que alcance o seu objetivo final.

Organize o seu dia

Liste todas as tarefas que você precisa fazer e defina quais são as prioridades, a ideia não é fazer uma lista infinita de tarefas que você não conseguirá realizar ao longo do dia, você pode distribuir todas as tarefas entre os dias da sua semana.

Reserve meia hora pela manhã e meia hora a noite para você dedicar ao seu bullet journal, faça seu registro diário, torne estes momentos um hábito na sua vida. Marque as tarefas que você conseguiu realizar e migre as tarefas não realizadas para outro dia.

Não fique sofrendo tentando fazer com que todos os dias sejam produtivos, somos humanos e não robôs, vai ter dia que não iremos fazer tudo e está tudo bem, ter um bullet journal é para te deixar mais leve e não com peso na consciência.

Monitore seus hábitos.

Dizem que para criar um hábito novo precisamos repeti-lo por vinte e um dias consecutivos. Comece definindo quais hábitos precisam de sua atenção, seja ele meditar, fazer exercícios, skincare ou se hidratar mais.

O método do Bullet Journal me ajudou a monitorar hábitos que precisavam ser desenvolvidos e a começar novos hábitos também. Um dos hábitos que já vejo resultado é o de leitura, eu lia um livro por mês, e após monitorar meu hábito de leituras, anotando a quantidade de páginas lidas por dia me incentivou a ler mais. No mês de julho por exemplo, li seis livros, sem precisar passar o dia todo lendo, apenas criei o hábito de ler todos os dias a noite antes de dormir.

Sinta-se bem.

O tempo que eu dedico ao meu bullet journal virou uma terapia, me faz refletir sobre como foi o meu dia, passei a observar as pequenas coisas que acontece e que não percebemos por estarmos no piloto automático e isso me faz sentir bem.

O método Bullet Journal não faz mágica e não muda a sua vida sozinho. Isso parte de você e da sua dedicação, é você querer que o seu dia de hoje seja melhor que ontem, que o seu eu continue sempre evoluindo.

 

Que tal partir para uma nova experiência e começar o seu Bullet Journal? Confira aqui nossas opções de cadernetas para você iniciar o seu!

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.