Capa, Sem categoria

O FRIO NA BARRIGA E O DESAFIO DE EMPREENDER

Empreender pode ter significados diferentes para cada pessoa, pode ser a realização de um sonho, a independência financeira, a virada de chave na carreira, a conquista da liberdade profissional, fazer seus próprios horários, ser seu próprio “chefe” dentre diversos outros.

Mas tem um sentimento que está presente dentro de qualquer empreendedor e que muitas vezes é o combustível que move em busca dos resultados, o FRIO NA BARRIGA!

Ser dono ou dona do próprio negócio dá medo, gera insegurança, dá o tal frio na barriga e muitas vezes temos vontade de desistir e dar um passo para trás. E isso é normal.

É importante “desglamourizar” a vida do empreendedor, como se tudo fosse mil maravilhas e como se todas as conquistas fossem fáceis e basta apenas querer. Tem muitos fatores envolvidos no sucesso de qualquer negócio, desde um bom planejamento, bom suporte, boa equipe, bons produtos/serviços, disciplina, controles rigorosos e até mesmo um pouco de sorte.

Também é importante ressaltar que nem todo mundo tem o perfil de empreendedor, e está tudo bem. Tem quem prefira empregos estáveis, concurso público, cumprir horário, seguir carreira de executivo ou trabalhar em uma grande empresa.

Mas, depois de passado o frio na barriga, depois de ver o seu negócio em pé, dando resultado… ah, como vale a pena!

E para mostrar um pouco dessa realidade de quem a pouco tempo resolveu encarar esse grande desafio que é empreender, trouxe para vocês um bate papo muito bacana que tive com a Renata Prazeres, nossa franqueada Magnólia do Shopping Iguatemi Florianópolis desde janeiro de 2020.

 

Ela conta um pouco sobre como foi esse processo de tomar o caminho pelo empreendedorismo e quais foram os desafios e aprendizados ao longo do caminho.

Aproveite para se inspirar, boa leitura!

 

Igor: Renata, conta pra gente um pouco de quem você é e sua carreira antes de chegar na Magnólia.

Renata: Me chamo Renata Prazeres Guimarães, sou casada e tenho duas filhas. Formada em Psicologia, já atuei na área clínica e organizacional. Me afastei da minha profissão por opção, quando meu marido precisou trabalhar em outra cidade, para acompanhá-lo e cuidar da filha. A segunda filha veio e continuei dando prioridade a minha família, a carreira podia esperar!

 

Igor: Nesse tempo entre o último emprego e se tornar franqueada, já tinha pensado em empreender?

Renata: Confesso que estava cômoda em minha vida de dona de casa, cuidando das minhas meninas e da rotina doméstica. Eu pensava em voltar à minha profissão um dia, mas como funcionária. Meu marido que me incentivou a procurar algo meu, que não me fizesse dependente de cumprimento de horário. Certa vez, me levou para o Rio de Janeiro para conhecer uma franquia, mas que não tinha nada a ver comigo e acabamos percebendo que não seria algo prazeroso e, portanto, não seria ideal.

 

Igor: Como foi esse processo de ter um negócio próprio sem ter experiência anterior?

Renata: Foi aterrorizante! (risos)

O medo tomou conta e quase desisti, mas o incentivo das pessoas que amo, a vontade de fazer algo por mim e a paixão pela Mag foram maiores e me fizeram seguir a diante!

 

Igor: Quais foram as maiores dificuldades que enfrentou ou está enfrentando nessa experiência?

Renata: Acho que a falta de experiência, é tudo muito novo! Aprender a mexer nas redes sociais, a vender os produtos, saber quando e quanto comprar. Enfim, estou aprendendo com meus erros e acertos a cada dia, e tem sido desafiador, afinal abrimos praticamente 1 mês antes da pandemia, e tem sido uma batalha diária.

 

Igor: Nas conversas que temos com diversos empreendedores, a maioria relata que já teve vontade de desistir de tudo, principalmente no início. Você passou por isso? O que fez para superar esse desafio?

Renata: Todos os dias (risos). Desde o primeiro dia, a cada barreira que encontro a primeira coisa que me vem à mente é desistir… Como falei anteriormente, eu me acomodo com facilidade e o medo por vezes me paralisa, então precisei “lutar” comigo mesma desde que decidi ser franqueada da Magnólia, e agradeço ao meu marido por estar comigo sempre me dando força e me impedindo de desistir. Ele me mostra como estamos indo bem, apesar dos pesares, me lembra de como estou feliz fazendo algo pra mim, de que gosto, de como nossas filhas estão orgulhosas e isso me dá força!

 

Igor: Como você enxerga o papel da Magnólia nesse processo? Quais ajudas ou caminhos facilitados foram possíveis?

Renata: Quando fui pra Brasília conhecer a Magnólia, foi quando tudo começou a fazer sentido pra mim, eu comecei a me ver fazendo aquilo. A equipe sabe o que está fazendo, como encantar o cliente e não pude escapar. A Mag me flechou direto no coração, e isso por si só já facilita tudo né, pq vender algo que você realmente acredita, se identifica e gosta é primordial na minha opinião, todo o resto é compensado!

Todo o processo é facilitado, a franquia é muito bem estruturada, está sempre se reinventando e auxiliando no que preciso. E precisei muito de vocês, logo no início, quando tivemos uns problemas para a instalação e pedimos socorro, vocês se fizeram presentes e auxiliaram no que foi possível.

 

Igor: Que dica você dá para quem está passando ou vai passar pela mesma situação que é ter um negócio próprio e se tornar empreendedor?

Renata: Que goste do seu produto, que realmente acredite no que está fazendo! Se cerque de pessoas que te estimulem e acreditem em você!

Não misture caixa pessoal com profissional, o que é da empresa não deve ser usado pra casa.

Barreiras e pedras no caminho sempre haverão, mas se você tiver paixão e incentivo, tudo vai acontecer da melhor forma!

Trabalhe com  algo que te faça feliz, que mesmo que no final do dia você esteja esgotada, você possa responder a pergunta se vale a pena com um sorriso no rosto!

 

 

Caso tenha ficado curioso e queira saber um pouco mais do nosso modelo de negócio e se tornar um franqueado Magnólia, baixe a nossa apresentação no link abaixo e fale com nossa equipe de expansão.

E aí, vamos empreender?

 

Um abraço e que todos fiquem bem,

Igor Vendas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.